"Dance like no one is watching, love like you'll never be hurt, sing like no one is listening, and live like it's heaven on earth."- William Purkey
11
Nov 11
publicado por Muito Mais Branco, às 14:20link do post

 

 

 

Ultrapassa-me como é que alguém tome um duche, se lave, com sabonete e que tais, e não lave a gadelha, suada, transpirada, a pingar, depois duma aula violentíssima de bodycombat. Eu ando para lá aos murros e pontapés durante uma hora, em que consigo, nos intervalos dos murros, beber ¾ de litro de água e ainda transpirá-la toda, e o meu cabelo, que, ok, não é lá grande juba, fica completamente encharcado e mal acabo a aula urge em ser lavado.

 

Aliás eu saio da aula a arfar, tipo cão depois duma corrida de 100kms pelo deserto, e preciso desesperadamente de primeiro, ingerir a maior quantidade de agua possível de forma a continuar a respirar, e sem me engasgar, segundo, despir-me, o que só por si não é tarefa fácil, pois toda a roupa está colada à pele, e terceiro, vou assim como vim parar ao mundo a correr (qual Brook Shields na Lagoa Azul, mas menos nova e boa), como se quisesse ganhar a medalha de ouro, quer dizer, bronze dos 100mts, para o duche e consigo manter-me debaixo d’agua fria uns 5 minutos, em pleno estado “O” a recuperar de tamanha impetuosidade física, marcada sobretudo pela intensidade do treino, que é altamente eficaz, uma vez que a força dos murros/pontapés, é proporcional ao ódio que conseguimos manifestar durante o treino perante uma pessoa imaginária a quem estamos furiosamente a esmurrar. Como neste momento não odeio ninguém, ou pelo menos não odeio ninguém que mereça o meu ódio, imagino o Socrates, depois o Armado Vara, depois o Cavaco, depois ao Dias Loureiro, passando pelo Mira Amaral e volta ao Socrates e de uma forma geral à falta de classe política Tugalêsa.

 

Mas o que me choca, para além da falta de coluna vertebral da cambada de gente que nos desgoverna, é, sem dúvida, haver raparigas que depois de uma aula tão pujante como a do bodycombat não vão imediatamente lavar a cabeça. Choca-me pronto. Ok, a pessoa tem que aceitar a diferença e tal, MAS minhas amigas, não lavar a cabeleira suada é tão mau como fazer a aula toda e não suar nada.

 

Sim também existem dessas, que não devem odiar ninguém, nem sequer os políticos corruptos, pois fazem a aula como se estivessem a mexer o esqueleto o menos possível, não vá partir-se, e que nem um pingo de suor vertem. Ok, essas, dão-me raiva, mas ao menos ajudam-me nas aulas, pois olho para o treino delas e apesar de estar de frente ao espelho, observo-as pelo canto do olho imaginando que se por acaso eu lhes tivesse a bater com aquela intensidade se elas mantinham o esqueleto intacto ou se acabavam por se desfazer. Vai na volta sofrem de osteoporose e não podem ser mais activas do que aquilo, ou então foram operadas aos joelhos, ou então são apenas hipocondríacas, e eu práqui a dizer mal…shame on me....

 

O problema deve ser meu, é que bebo muita e depois dá nisto de suar e ter que lavar a cabeça, é isso…. 


De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

mais sobre mim
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO