"Dance like no one is watching, love like you'll never be hurt, sing like no one is listening, and live like it's heaven on earth."- William Purkey
22
Jun 10
publicado por Muito Mais Branco, às 15:09link do post | comentar

 

 

Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é de me ATIRAR DE AVIÕES, que estejam a funcionar perfeitamente bem, e vá se lá saber porquê...não gostei especialmente do Peter Pan, nem tinha sonhos de ser aviadora nem hospedeira quando era miuda, mas deu-me para isto, e gosto. Bom, gostar é pouco... gosto MUITO. Ok, GOSTAR MUITO, ainda é pouco... ADORO! Adorar não soa muito bem, 'adoro atirar-me de aviões' hummmm esquisito....mas, sim adoro, e sobretudo adoro adorar saltar de aviões, perdoem-me a redundância. Sinto mesmo necesidade de apanhar ar, de arejar o cerebro, de ventilar, e projectar-me a 300kms à hora em direcção à terra é um bom escape, é sim senhora. Julgo que quanto mais arejo o cerebro mais vou esvasiando as ideias....uiiiii espero que este meu julgamente não seja provado, isto não algura nada de bom....  Fui...


publicado por Muito Mais Branco, às 15:09link do post | comentar

 

 

É que parece que há quem não goste de outro tipo de casórios.... mas euzinha tanto se me dá, e se há quem fique feliz por isso, porque raio há de alguem ficar incomodado, hein??

Bom mas este post é mais sobre O CASAMENTO DOS MEUS PAIS... é verdade que estamos na era dos divorcios e separações e tal e coiso, massssssss ainda há quem se case, é verdade.... passados 20 anos, não posso dizer que deram o nó, mas enfim, oficializaram a coisa, e os filhos e a neta apoiaram maning. Eles não queriam dizer nada.... mas nós descobrimos e fomos assistir ao casório, há pois fomos...

e como não foi Deus, mas sim o Estado que abençoou o casamento, tivemos direito à leitura deste poema:

 

Soneto da Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre,e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinicius de Moraes

 

:

publicado por Muito Mais Branco, às 15:09link do post | comentar | ver comentários (1)

A ver se consigo escrever isto até ao fim sem inundar o teclado outra vez....

Há gente com sorte.... é que já tive a sorte de ter uma filha, depois tive a sorte de ter uma filha saudável e ainda assim fui abençoada com uma filha, saudável e ainda muito inteligente... muita, mesmo muita sorte. Á pois é.

Vou limpar o teclado... Fui...

 

:

publicado por Muito Mais Branco, às 14:16link do post | comentar | ver comentários (1)

 

Hoje tou tipo William Purkey e deu-me para isto, criar um blog. Na realidade eu já tinha um, mas era demasiado sério para ser levado a sério, a modos que resolvi fazer outro, mais light, menos cuidadoso mas mais pessoal, menos profundo e filosófico e mais do genero consumo imediato do que do genero tolstoiano ou saramaguesco, em suma, um bolg leve e divertido.

É que há dias que me apetece gritar de alegria, outros que nem por isso, mas vai lá o tipo do café lá de baixo perceber se estou numa de falar até me faltar a voz ou se estou mais circunspecta, metida comigo mesma, AKA caneura, e não passo cartão? O tipo não faz ideia, aqui entre nós julgo que me acha meia esquisita, por isso, para deixar de massacrar as pessoas aleatoriamente à minha volta com idiotices, resolvi criar o blog. Assim só se chateia quem quer...

Agora vou dar uma de Ellen e vou dançar pelo escritório fora. Fui....

 

 

 

 

tags: ,

mais sobre mim
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
24
26

27


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO