"Dance like no one is watching, love like you'll never be hurt, sing like no one is listening, and live like it's heaven on earth."- William Purkey
14
Out 11
publicado por Muito Mais Branco, às 15:44link do post | comentar

  

 

 

Olá gentes,

 

Pois que devo ser uma anormal devo. Ou então não…

Há duas coisas que me deixam confusa, quer dizer há muito mais, mas estas fazem-me duvidar da minha sanidade mental…

Será que sou só eu que:

 

(1) Não entendo como é que é suposto as pessoas se cumprimentarem num e-mail, se é simplesmente ‘Bom dia Maria’ ou se deve ser ‘Cara Maria’ ou antes, ‘Exma. Sra. D.ª Maria’, ou ainda, ‘Exma. Sra. Dra. Maria’ e ainda há a versão jurídica do ‘Ilustre Colega, Exma. Senhora. Dra. Maria’ e mais numa versão académica ‘Exma. Senhora Professora Doutora Maria’ – estas versões são pralá de cansativas. Eu tenho imensa dificuldade em perceber quando posso usar um tipo de saudação ou outro. Deve ser por ter estudado em Inglês em que é sempre invariavelmente ‘Dear Sir’ OU ‘Dear Madam’ – quando não se conhece e ‘Dear Mr. José’ OU ‘Dear Ms. Maria’ – quando se conhece, e ponto. Quais dê éres ou coisa que o valha… dê éres em Inglês são os médicos. Será possível padronizarmos a coisa de uma forma simples, para que quando vá enviar um e-mail saiba logo como me dirigir à pessoa. E desengane-se quem acha que um ‘Bom dia Maria’ nunca poderia ser levado a mal. Pois… é que há gentinha que fica pralá de ofendida com o simpático (achava eu) ‘Bom dia Maria’… é que a bem ver o ‘Bom dia Maria’ é uma saudação amável e só gente mesquinha é que pode levar tal saudação a mal. Já o ‘Ilustre Colega, Exma. Senhora. Dra. Maria’, linguagem usada entre advogados (que são uma espécie à parte) é algo surreal e difícil de encaixar nesta minha maneira espontânea de ser, vai na volta é por isso que não sou advogada …

 

O mais surpreendente é que depois o Ilustre blá blá blá vêm muito educadamente mandar uns aos outros à merd@... Onde é que fica o tão ilustre, notável e distinto colega? É isso. Ahhhhh ainda me faltou os que não se cingem ao primeiro nome e vai de pespegarem com os apelidos e tudo, então a coisa fica mais ou menos assim ‘Ilustre Colega, Exma. Senhora. Dra. Maria Pereira de Morais Carneiro, recepcionámos a sua carta, a qual mereceu a nossa melhor atenção, contudo devido ao teor da mesma, compete-me informar a Ilustre Colega, que ficou unanimemente decidido, com o devido respeito, indicar que meta o extintor, que certamente estará pendurado numa das paredes do seu Ilustre escritório, salvo erro naquela entre o quadro do Picasso e a escultura de Rodin, no seu olho, aquele que nunca viu o sol’ ora bem são 78 palavras gastas, quando poderia ser algo tão simples quanto ‘Bom dia Maria, relativamente à carta que nos enviou, vá mazé levar no cú’ e com 14 palavrinhas a coisa tá feita. Não entendo todos os éffes e érres quando no fundo a coisa é mesmo brega, seja em que formato for.

 

(2) Também não entendo como é que as pessoas se despedem nos e-mails, embora esta questão seja muitíssimo mais simples do que a parte da saudação, porque o cumprimento sem todos os dê érres é coisa para ser considerado bastante insultuoso, já a despedida, como não carece desses títulos a coisa corre invariavelmente melhor. Contudo há o clássico ‘Melhores cumprimentos,’ ou ainda o ‘Atentamente’, há o vulgo ‘Obrigada,’ que quando se torna mais corriqueiro passa a ‘Obg,’ e há o meio atrevidote ‘Beijinhos,’.

 

Este ultimo para ser usado com muito cuidado, porque pode ser considerado demasiado íntimo para as relações profissionais, embora possa haver essa abertura, normalmente para as mesmas pessoas que não levam a mal o cumprimento pelo simples ‘Bom dia Maria’. Enfim é uma questão de bom senso. O problema põe-se quando não se sabe ao certo se o ‘beijinhos,’ é encarado numa de ser amável e numa tentativa de aproximação e portanto joga a nosso favor, ou se é encardo numa de ‘olha olha, está já me manda beijinhos, quem é que ela pensa que é’, por isso em caso de duvidas o ‘obrigada’ serve perfeitamente. Em inglês, lá está, a coisa é muito mais simples. Jamais se despede de alguém com ‘Kisses’… Utiliza-se o ‘Best regards,’ ou numa simpátia extrema o ‘Kind regards’, e depois com a continuação passa a ‘B. rgds,’ e já tá.

 

Outra coisa que me deixa intrigada na altura da despedida é o cartão-de-visita que vem por baixo, e que normalmente contém o nome da empresa, o cargo e os contactos e vá, a pagina da internet também. E isso basta. Pensava eu. Mas é cómico ver um cartão-de-visita como descrevi em cima, em que depois encontramos uma indicação toda avan-garde e que fica sempre bem tipo ‘pense no ambiente antes de imprimir este e-mail’ e depois segue-se uma lista interminável dos vários prémios que aquela empresa já ganhou, tipo ‘Melhor empresa para trabalhar no ano 2010’; ‘Troféu melhor amigo do ambiente’, e por ai fora…. cómico…. to say the least. Para não falar nos logos às cores e dos twitters e facebooks e outras indicações que sempre contribuem para a imagem que a empresa quer passar.

 

E com isto vou-me, é 6ª e eu despeço-me de vocês com o desejo de que passem um bom fim-de-semana (muito utilizado também para despedidas nos e-mails às 6as)

 

Fui! 

tags:

mais sobre mim
Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
13
15

16
17
18
19
20
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO