"Dance like no one is watching, love like you'll never be hurt, sing like no one is listening, and live like it's heaven on earth."- William Purkey
02
Nov 10
publicado por Muito Mais Branco, às 14:13link do post | comentar

 

Acredito ser uma criatura inteligente. Pronto, já disse. Ok não sou inteligente tipo genial do género einsteiniano….não… confesso que não sei fazer integrais triplos, mas tenho alguns neurónios e sei processar alguma (pouca) informação. Digamos que de zero a dez, sendo zero equivalente ao QI de uma lesma e 10 ao do Einstein eu estarei entre os 7 e os 8, vá, mais coisa menos coisa.

 

É assim que eu me considero apesar de por vezes me sinta totalmente parva, ou não fosse eu influenciada pela triste média Tugolesa, que se deve situar entre os 2 e os 3. Adiante. Sendo eu uma pessoa cuja capacidade de processar informação está, digamos, acima da média, e sem querer parecer convencida, porque assumo já que sou, vejo-me balançada a fazer aqui uma revelação. E vamos ter (o que a Oprah chama de) um ‘ahá moment’.

 

Já pensaram como seria a Tugólândia se TODOS pagassem impostos? Como seria maravilhoso ter os hospitais sem filas de espera, as repartições das finanças vazias, as escolas a funcionarem, as estradas limpas, as pessoas bem-dispostas na rua. Seria tão bom que a put@ da crise nem nos afectaria. Estaríamos a observar, o resto da Europa, e seriamos um case-study, um exemplo a seguir. Já não nos chamariam de PIGS. O FMI viria obter conselhos dos chefes de estado da Tugolândia e seríamos todos orgulhosamente Tugas. Seria bom, não seria? Mas não será. E não será porquê?

 

É, em tese, relativamente simples, basta que TODOS paguem o que devem. Simples. Mas nós Tugas, temos os valores trocados…admiramos quem é esperto o suficiente para fugir ao fisco, como é que não entendem que se há um a fugir aos impostos há outro que tem de pagar o dobro…

 

Já mais vezes do que as que gostaria assisti (atónita, ou não fosse eu contabilista) à gargalhada geral em jeito de admiração, entre seres Tugas, quando um conta como arranjou um esquema para pagar menos imposto e que arranja facturas para recuperar o IVA e que é (xico-esperto) o maior e nós, que o ouvimos estupefactos, somos todos uns otários (ou pelo menos assim nos sentimos) porque pagamos impostos. Já me senti parva e otária muitas vezes, mas vou passar a demonstrar fisicamente (ainda mais) o meu desagrado por este tipo de atitudes, e como desbocada é uma das minhas principais características, espero não ter de vir a assistir a mais um xico-esperto a contar-me como me anda a gamar mesmo debaixo do meu nariz …porque garanto que parto para a agressão. Tenho dito.

 

Don’t wait for everything to be perfect. Be the change that you want to see in the world. Faz a tua parte….eu vou fazer a minha. Fui.

 


Não é um problema tuga, é um problema humano.
Em vez de olhar para si mesmo, o macaco estúpido põe as culpas nos outros, na sociedade, em Deus.
Já dizia um velhinho de barbas daqueles orientais que têm sempre coisas boas para dizer:
Quando apontas um dedo não te esqueças que tens três a apontar para ti.
O entranhado a 3 de Novembro de 2010 às 12:38

Sim todos nós temos telhados de vidro e pela boca morre o peixe...se por acaso este blog deixar de existir nos tempos próximos já sabem: fui calada... lol

O problema é Tuga na medida em que não estou a a ver um grupo de Suecos a gabarem-se de serem muita espertos por não pagarem impostos... alias se há um que não paga é imediatamente denunciado e é uma vergonha, não é algo admirável, como é cá na Tugolândia....

eu até ía escrever: Bravo! até te ía dizer que tens a razão todinha e que me agonia quando tanta gente que me é próxima vive de subsidios que eu pago e aos quais eu não vou ter direito quando provavelmente no fim do ano fechar o meu negócio devido ao aumento do IVA, apesar de todos os meses fazer os meus descontos certinhos, direitinhos. Eu até podia dizer muita coisa, mas lembrei-me que houve alguém (há sempre alguém ;-) que já o disse muito melhor que eu:

Ana Carolina - Só de Sacanagem

Meu coração está aos pulos!
Quantas vezes minha esperança será posta à prova?
Por quantas provas terá ela que passar?
Tudo isso que está aí no ar: malas, cuecas que voam entupidas de dinheiro, do meu dinheiro, do nosso dinheiro que reservamos duramente pra educar os meninos mais pobres que nós, pra cuidar gratuitamente da saúde deles e dos seus pais.
Esse dinheiro viaja na bagagem da impunidade e eu não posso mais.
Quantas vezes, meu amigo, meu rapaz, minha confiança vai ser posta à prova?
Quantas vezes minha esperança vai esperar no cais?
É certo que tempos difíceis existem pra aperfeiçoar o aprendiz, mas não é certo que a mentira dos maus brasileiros venha quebrar no nosso nariz.
Meu coração tá no escuro.
A luz é simples, regada ao conselho simples de meu pai, minha mãe, minha avó e os justos que os precederam:
" - Não roubarás!"
" - Devolva o lápis do coleguinha!"
" - Esse apontador não é seu, minha filha!"
Ao invés disso, tanta coisa nojenta e torpe tenho tido que escutar. Até habeas-corpus preventivo, coisa da qual nunca tinha visto falar, e sobre o qual minha pobre lógica ainda insiste: esse é o tipo de benefício que só ao culpado interessará.
Pois bem, se mexeram comigo, com a velha e fiel fé do meu povo sofrido, então agora eu vou sacanear: mais honesta ainda eu vou ficar. Só de sacanagem!
Dirão:
“ - Deixa de ser boba, desde Cabral que aqui todo o mundo rouba.”
E eu vou dizer:
”- Não importa! Será esse o meu carnaval. Vou confiar mais e outra vez. Eu, meu irmão, meu filho e meus amigos. Vamos pagar limpo a quem a gente deve e receber limpo do nosso freguês. Com o tempo a gente consegue ser livre, ético e o escambau.”
Dirão:
" - É inútil, todo o mundo aqui é corrupto, desde o primeiro homem que veio de Portugal”.
E eu direi:
” - Não admito! Minha esperança é imortal!”
E eu repito, ouviram?
IMORTAL!!!
Sei que não dá pra mudar o começo, mas, se a gente quiser, vai dar pra mudar o final.

Ana Proença a 3 de Novembro de 2010 às 14:19

Nem mais Ana :) Muito bem dito!

Polacos, Bulgaros, Hungaros, Romenos, Espanhóis, Franceses, Austriacos, Alemães....

Cada um no seu país fazem-no da sua forma.

Suecos não sei, nunca conheci nenhum/a.
Há quem diga que as pessoas dos países nórdicos são as mais rectas e cumpridoras.

(estranho quando pensamos que a Islândia, um modelo de país em muitos aspectos, foi o primeiro a ir pó galheiro...o povo roubava o país?)

Os meus 500 paus...
O entranhado a 3 de Novembro de 2010 às 17:51

mais sobre mim
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
27

28
29


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO